O Q. nasceu em Lisboa em 30 de Abril de 2008 e é um menino muito especial.

E é por ser especial que desde o primeiro dia que trabalha muito, que procuramos soluções, alternativas, pesquisamos, falamos e temos muita ESPERANÇA que um dia faça tudo o que os outros meninos fazem.

Por ser assim, te amamos e POR TI, Q. tudo fazemos.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

A ACEITAÇÃO

Nos primeiros anos, procurei e pesquisei muita coisa. Li blogues do mundo inteiro, "conheci" muitas mães e o que davam a conhecer dos seus filhos através dos blogues e nas redes sociais. 
Corri mundo em busca de tratamento, trouxe para Portugal terapeutas estrangeiros, novas terapias, montei com muito carinho uma clínica de reabilitação com o intuito de proporcionar às outras crianças o mesmo que podia proporcionar ao meu filho. 
Candidatei-me à direcção da Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa, escrevi num blogue internacional, fui confidente de muitas mães, tirei dúvidas a muitos terapeutas. Diria até que ensinei a muitos terapeutas o que é viver com um filho com uma deficiência. 
Vivi por completo no mundo da deficiência.
 
Comecei por acreditar no engano dos médicos, depois no milagre, e até que aceitei.

E é sobre o momento da aceitação que falo agora.

Aceitar que nada mais podemos fazer pelos nossos filhos, seres indefesos que gerámos dentro de nós, é... (neste momento não encontro palavras para descrever)

Mas se até esse momento eu vivia inquieta, infeliz e miserável, a partir do momento que aceitei que nada do que eu pudesse fazer iria mudar o rumo da vida e a condição do meu filho, renasci. Parece um cliché mas a realidade é que sinto que houve um tsunami no dia em que o Quico nasceu, destruiu tudo à volta (relações, amizades, o meu coração) e eu andei desenfreada a tentar reconstruir tudo o que foi destruído. A certa altura percebi que não dava, eu não tinha mais material para reconstruir e abri o meu coração e aceitei que o meu filho tem uma deficiência grave, vai depender toda a vida de todos, não vai falar e nem andar. 
Mas vivo mais feliz, deixei de viver só da deficiência, libertei um peso que carregava nas minhas costas como se a responsabilidade e a possibilidade de ele melhorar ou ficar bom dependesse de mim. Não depende de mim nem de ninguém.

E tive que fazer todo aquele caminho e viver exclusivamente da deficiência, para hoje poder aceitar desta forma e de consciência tranquila.
Tenho um filho hoje menos tenso, mais feliz e sinto que ele sabe que não tem mais o peso de tentar fazer coisas que não consegue. Tenho a certeza que a vida dele é agora muito melhor do que foi nos primeiros 6 anos. E é isso que eu quero!

Não quer isto dizer que não faça terapias ou não faça tudo por ele. Se houvesse tratamento no fim do mundo, amanhã eu estava lá. Mas deixei de esperar com ansiedade por esse momento. Esse momento vai aparecer se aparecer.

Sara

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

VIVER É VENCER - Dia internacional das pessoas com deficiência

Hoje celebra-se o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

Este é um dia que se vive cá em casa todos os dias, 24 horas por dia, há mais de 7 anos! 

Num dia nada se sabe, pouco se sente e nada dói, noutro dia, a vida mostra o seu lado obscuro, aterrador e incerto. 

Numa fracção de segundos, a vida mostra como somos insignificantes e nem que sejamos a pessoa mais importante do mundo, a deficiência é imodificável e irrevogável. 

E é com esta verdade absoluta e aterradora de impotência que eu, mãe de uma criança com deficiência, vivo e celebro o dia internacional das pessoas com deficiência.


Mas vivo com aceitação. E é por isso que não posso deixar de dizer que as pessoas com deficiência são as pessoas mais valiosas, lutadoras e significantes do mundo. Minuto a minuto tentam vencer obstáculos, como mexer um dedo e até respirar. Para elas VIVER É VENCER e a elas me rendo e presto uma enorme homenagem de admiração.

Sara


domingo, 29 de novembro de 2015

PARA VENDA EM 2ª MÃO

Com o Quico a crescer bem e saudável :-), e porque preciso sempre de comprar mais coisas, há muitas coisas que estou a vender.

Alguém interessado? 

Se precisarem de alguma informação adicional, digam para o mail.
Bjs
Sara  


Gatinhador 40€
       
Cadeira VIVO 400€
Plataforma para levar os irmãos e acoplar ao carrinho do Quico
 http://olx.pt/anuncio/plataforma-de-carrinho-de-beb-IDyuEoF.html

Piscina sensorial 40€
Cantinho Dinâmico 100€
UPSEE T2 150€
Standing JENX 700€

sexta-feira, 10 de julho de 2015

O GLÚTEN e os seus efeitos no desenvolvimento de crianças com transtornos neurológicos

Muitas pessoas ainda não estão alertas para os problemas que o glúten, a lactose e a caseína podem ter na vida de crianças com transtornos neurológicos.
Embora já venha a estudar o tema há muito tempo, e há mais de 4 anos que o meu filho faz uma dieta sem glúten e sem lecticinios (mantém apenas os iogurtes caseiros porque têm probióticos que são importantes), leio agora que também pode estar relacionado com a epilepsia. A verdade é que o Quico já não tem crises há 2 ou 3 anos, provavelmente da dieta alimentar que leva

Mais uma vez, a alimentação é muito importante. 

Leiam este tempo e percebam porquê. 

Sara 

El pasado 29 de junio se celebró en Donosti una mesa redonda con el doctor Harald Blomberg. Tuve la oportunidad de poder asistir en calidad de representante de la Asociación Laztana y agradezco en nombre de todos los socios a los organizadores. En especial a Aitor Moreno del Impact Hub y a Amaia Gozategi de Mandalara Taldea y Norte Alternativa.
A continuación resumo la interesante información que compartió el doctor Blomberg con todos nosotros.
La intolerancia a la caseína (la proteína de la leche) es muy común en niños con TDA-H (Trastorno por Déficit de Atención con o sin Hiperactividad), especialmente en los casos en los que manifiestan muchas rabietas. Pero cada día son más los niños que tienen intolerancia al gluten (la proteína de algunos cereales como el trigo).
Según del doctor Harald Blomberg, 9 de cada 10 niños con problemas en su desarrollo tienen una intolerancia al gluten. Y muestran en general, más problemas que aquellos que no toleran la caseína.
En casi todos los niños con autismo y en la mayoría de los que tienen problemas de atención, hay una intolerancia a alimentos. Normalmente a la caseína, al gluten o concretamente al trigo, y a la soja.
Una de las causas de una intolerancia al gluten puede ser la exposición a aparatos y radiaciones electromagnéticas. Éstas causan inflamación de los intestinos, que se vuelven permeables o porosos, con lo cual por ellos se cuelan tóxicos y proteínas como la caseína y el gluten, derivando en una inflamación cerebral (especialmente del cerebelo).
La sensibilidad al gluten ha aumentado enormemente en los últimos 5 años. En su opinión, tienen una gran responsabilidad los iphones, al 4G y 5G por favorecer la existencia de un intestino permeable.
La hipersensibilidad a radiaciones está relacionada con la presencia de metales pesados, deficiencias en vitaminas (B12 especialmente), ácido fólico… intolerancia al gluten…
Los niños con autismo tienen el intestino permeable. Muestran especialmente problemas motores y del habla. Es muy probable que lo mismo ocurra con los niños con retraso en el habla o con problemas motores.
Niños con TOC (Trastorno Obsesivo Compulsivo) pueden tener una sensibilidad al gluten. Los tics pueden estar relacionados con esta intolerancia y los grandes miedos también. La inflamación cerebral provoca hipersensibilidad de los sentidos, migrañas, TOC, depresión, ansiedad, TDAH, dificultades de aprendizaje…
Un daño severo del cerebelo por inflamación puede llevar a la pérdida del equilibrio y a problemas motores serios. Incluso llegar a la espasticidad. Muchos niños desarrollan ataxia por gluten. Estos niños no desarrollan el lenguaje cuando aparece la ataxia a una edad muy temprana.
La ataxia por gluten es muy común en personas mayores.
El doctor Blomberg contó su experiencia al evaluar y trabajar con 16 niños en un colegio de Alicante, todos ellos diagnosticados de Parálisis Cerebral. En su opinión, tan sólo la mitad tenían PC, los demás tenían ataxia debida al gluten. Estos niños comían pobremente y no desarrollaron el lenguaje. Al dejar de tomar gluten, algunos mejoraron mucho, pero otros ya no tuvieron esta oportunidad debido a la severa inflamación de su cerebelo (lo mismo ocurre con los niños con autismo).
A pesar de los problemas causados por el gluten en los niños con autismo, sólo el 2 o el 3% de los mismos desarrollan celiaquía. Esto provoca que no sean tratados con la dieta adecuada.
La sensibilidad al gluten no se puede testar con un análisis, la única manera de confirmarla es ir excluyendo el gluten de la dieta. Los análisis de sangre ni las biopsias la diagnostican.
También ocurre que la mitad de las personas con celiaquía no tiene síntomas intestinales y normalmente no se realizan las pruebas médicas cuando no hay problemas en el intestino.
La sensibilidad al gluten tiene síntomas parecidos a los de la celiaquía, y al igual que pasa con ésta, no siempre da síntomas intestinales. Afecta a un 40 - 70% de la población. Provoca inflamación intestinal, de las articulaciones y del cerebro. (Blomberg está convencido de que afecta a más de la mitad de las personas).
Es muy común que la sensibilidad al gluten vaya en conjunto con la sensibilidad a la caseína y a la soja. Al aplicar dieta libre de gluten, el síndrome de abstinencia puede durar 3 meses o más.
El síndrome de abstinencia, al igual que los síntomas del autismo, se debe a los efectos parecidos a la morfina creados por los péptidos del gluten y de la caseína. Los niños con autismo limitan su dieta por adicción a los alimentos a los cuales tienen intolerancia. Debido a los efectos opiáceos, se da un síndrome de abstinencia con problemas emocionales, agresividad, manifestaciones en la piel, etc.
El doctor Blomberg, como psiquiatra que es, opina que la mayoría de las enfermedades psiquiátricas mejoran quitando el gluten y la caseína de la dieta. La depresión, psicosis, TOC, autolesiones, etc. También la epilepsia (puede ser causada por sobreestimulación  del cerebro por el gluten).
Rosina Uriarte


http://estimulacionydesarrollo.blogspot.pt/2015/07/el-gluten-y-sus-efectos-en-el.html

terça-feira, 16 de junho de 2015

Nós somos o que comemos

E porque hoje o Quico vinha da escola choroso e chateado, fiz-lhe uma mousse saudável de cacau, com o objectivo de melhorar o humor e reduzir o stress!
Objectivo cumprido.
É que nós somos, efectivamente, o que comemos!


PS: Quico a fazer ABR 
Bjs
Sara

sábado, 13 de junho de 2015

WORKSHOP COZINHA SAUDÁVEL PARA CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL

WORKSHOP - preço especial 
Como sabemos que o tema da alimentação saudável dos filhos é muito importante para os pais, mas todos nós temos muitos gastos com a reabilitação e os produtos de apoio, informo que, fazemos um preço especial para inscrições antecipadas (até 29.06): de 80€.
o Workshop tem o seguinte programa:
- Princípios da alimentação saudável e optimizadora para a paralisia cerebral e doenças neurológicas
- como escolher e onde comprar
- super-alimentos
- probióticos
- glúten e lactose
- leites vegetais
- sumos e batidos
- pequenos-almoços, lanches e snacks pré e pós terapia
Como preparar: sumo verde vitaminado, leite vegetal vitaminado, smoothie de vegetais e fruta enriquecidos, smoothie de taça, papas de micro-ondas, Overnight Oats, musse de chocolate saudável e vitaminada, probióticos, proteína, outros. 

As inscrições podem ser feitas comigo (s.de.salada@sapo.pt) ou com a Love4Kids - Centro de Estimulação e Desenvolvimento Infantil.
Caso tenham alguma dúvida, digam-me.
Beijinhos.
Sara

quarta-feira, 3 de junho de 2015

BOLAS ENERGÉTICAS

Faço estas BOLAS ENERGÉTICAS para todos cá em casa. Mas especialmente para o Quico, e dou-lhe, geralmente, antes de fazer uma sessão de fisioterapia. 

São ricas em gordura saudável, proteína (essencial para os músculos), minerais, anti-oxidantes, mantém os niveis de açúcar estáveis (o que permite não ter altos e baixos de energia durante uma sessão de terapia); não têm açúcar, são cruas, e sem glúten! Ainda ajudam a dar bom humor!

São fáceis de comer para quem tem dificuldades de deglutição e até de absorção dos nutrientes, já que tudo é triturado. 
São ainda muito simples de transportar para as sessões de terapia ou para a escola. As mães também vão precisar, para lhes dar energia!

No Workshop de cozinha saudável para crianças e jovens com paralisia cerebral e outras doenças neurológicas, vamos aprender a fazer estas bolas, super leves mas super energéticas.

Beijinhos.
Sara 



quinta-feira, 28 de maio de 2015

Workshop "Cozinha Saudável para crianças e jovens com PARALISIA CEREBRAL e DOENÇAS NEUROLÓGICAS"



Vou realizar um Workshop Cozinha Saudável para crianças e jovens com PARALISIA CEREBRAL e DOENÇAS NEUROLÓGICAS, como health coach e mãe de uma criança com paralisia cerebral, dia 4 de Julho, em Lisboa, na Clínica Love4Kids.
Trata-se de um workshop específico para as nossas crianças, único em Portugal, e pretende optimizar o potencial nos nossos filhos através da alimentação saudável.

Programa:
- Princípios da alimentação saudável e optimizadora para a paralisia cerebral e doenças neurológicas
- como escolher e onde comprar
- super-alimentos
- probióticos
- glúten e lactose
- leites vegetais
- sumos e batidos
- pequenos-almoços e lanches
- Como preparar: sumo verde vitaminado, leite vegetal vitaminado, smoothie de vegetais e fruta enriquecidos, smoothie de taça, papas de micro-ondas, Overnight Oats, musse de chocolate saudável e vitaminada, probióticos, proteína, outros.

Todas as informações estão no folheto.

Inscrições para o e-mail: s.de.salada@sapo.pt
Datas: 4 de Julho de 2015
Horário: das 9h30 às 13h30
Local: Love4Kids, Rua Alda Nogueira, loja 1-a, Restelo, Lisboa
Participação: 130€ (os 2 Sábados) 
Fico à vossa espera.
Sara

S de Salada - vida e alimentação saudável

Olá.




Numa tentativa de melhorar a alimentação do Quico, desde que ele tinha 1 ano, sempre me interessei muito pela alimentação saudável.
Até que acabei por optar por fazer um curso sobre alimentação e outras práticas de vida saudável. Assim, estou a terminar o meu curso como Health Coach no instituto de Nova York, Institute for Integrative Nutrition. 

Para aceder à minha página do Facebook, clique aqui.

Para aceder ao meu blogue, clique aqui


São direccionados a todas as pessoas. Mas muitas das receitas e instruções de vida saudável são muito úteis a crianças com necessidades especiais e também, claro, a super-mães que de vez em quando se esquecem de si mas precisam de tratar delas tanto quanto tratam dos seus filhos.

Espero que goste!
Sara 




terça-feira, 26 de maio de 2015

Dr. Nazarov e técnica de Miotenofasciotomia


No início do ano, o Quico foi indicado para operação urgente à luxação da anca, de um dos lados. Trata-se de uma operação complicada, com 2 meses de imobilização, gesso dos pés até à cintura, colocação de uma placa. Morfina no hospital e gritos em casa. O cenário é péssimo.
Sabemos que grande parte das crianças, com a distonia e a espasticidade, acabam por encurtar os músculos do corpo, e depois acabam por ter as luxações na anca, e isso leva a várias operações até ao final do crescimento, já que o músculo não consegue acompanhar o crescimento do osso, e este acaba por sair.

Assim, não muito conformados com a situação, e numa tentativa de retardar a operação ao máximo, na semana passada, fomos a Madrid consultar o Dr. Nazarov, que faz uma cirurgia que se chama Miotenofasciotomia, originária do Dr. Ulzibat, que no fundo vai tratar dos encurtamentos dos músculos.

Só que nós fomos lá à procura de uma solução urgente para a luxação da anca, e o Dr. Nazarov propôs intervir em 28 músculos. O que me deixa muito satisfeita pois vai mexer em todos os músculos encurtados, em todo o corpo. E isso, vai ajudar na escoliose, na luxação da anca, na zona escapular, mobilidade dos braços, abdução do polegar, pescoço, pernas, pés, fala/mastigação e olhos.

Trata-se de um procedimento minimamente invasivo (de 30 minutos em todos os 28 músculos, sedação de máscara, 1 dia de internamento), que consiste em operações percutâneas, com uma espécie de agulha, cortando apenas as fibras mais curtas que limitam o movimento. 

Claro que a intervenção é cara (e não gratuita como seria a operação à luxação em Portugal), e implica a deslocação a Barcelona, Espanha.
Mas acho que tratar todos os músculos encurtados e não ter 2 meses de dores e imobilização, vão compensar. 
Agora, admito quem ache que esta não é uma boa técnica, que não vale a pena, etc.

Aqui fica o site da clínica e a explicação exaustiva da intervenção: Cinamed - Dr. Nazarov.

Sara 

 

De volta ao príncipio: terapia cubana

Hoje dei por mim a pensar: será que é mesmo verdade que, por mais voltas que a vida dê, voltamos sempre ao ponto de partida?

Quando o Quico tinha um ano, estive em Cuba a fazer terapia, experiência que não aconselho a ninguém, mas vim de lá a gostar muito do método de reabilitação integral e intensivo.
A partir daí, e até há 3 anos atrás, mais ou menos, fizemos terapia cubana. Em 2012, com a clinica Love4Kids e a vontade de experimentar novas terapias, e por outras circunstâncias relacionadas com a terapeuta, não continuámos.

Hoje voltámos. E espero que seja para continuar. Continuo a gostar do trabalho dos terapeutas cubanos, claro, desde que seja feito de uma forma sistemática e intensiva. E o Quico parecia que tinha saudades! Estava super contente e "conversador"!




Sara 
 

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Tenho uma dor

Aqui fica o meu último texto no blogue da Firefly.
 
"...É uma dor crônica, é constante, vai doer até não sei quando. Ou melhor, sei. É uma dor que não vai deixar de doer nunca. É uma dor que revela a impotência, que se traduz em infelicidade. É a dor de ver o meu filho diferente, especial, ter uma deficiência, como lhe queiram chamar. É a dor de ver um filho que não anda nem vai andar, não fala nem vai falar, não come nem faz nada do que fazem as crianças da idade dele. E eu? Impotente! E com uma dor dilacerante, que me atravessa o coração, a alma..."

Texto completo: Tenho uma dor 

Sara 

domingo, 15 de fevereiro de 2015

App "Minha rotina especial"

O terapeuta ocupacional, especialista em inclusão escolar, Régis Nepomuceno criou um aplicativo que pode vir a ajudar muito as rotinas das nossas crianças bem como as nossas! Vale a pena ler o descritivo!
Tenho a maior fé neste projecto e estou ansiosa por começar a aplicar com o Quico.
Apesar do Régis ser brasileiro e nós sermos portugueses, há vários anos que peço opinião ao Régis sobre imensas coisas do Quico. A partir de Janeiro deste ano, o Régis passou a liderar a inclusão escolar do Quico, em conjunto com as terapeutas portuguesas, que cá fazem o trabalho diário. Temos video-conferências com regularidade, temos um grupo fechado no facebook, já tivemos a visita do Régis e este modelo tem funcionado muito, mas mesmo muito, bem. Sinto que finalmente, nesta dor de cabeça que é a inclusão escolar de uma criança com deficiência, estamos no caminho. 
É um modelo diferente do habitual e por isso é preciso o empenhamento de todos, terapeutas, cuidadores, todos na escola. Sobretudo é preciso aceitação por parte da escola! Mas tudo se consegue quando todos percebem que estão a fazer o bem e a trabalhar para a evolução da crança.
As terapeutas do Quico têm sido fantásticas e, em conjunto com o Régis, têm feito um excelente trabalho e sobretudo TODOS passámos a trabalhar diariamente com os mesmos objectivos!
Está a correr tão bem que pretendemos que o Régis passe a dar este tipo de apoio a todas as crianças que estejam interessadas neste modelo, em Portugal (com todo o tipo de dificuldades). Pelo que, estamos a desenvolver um projecto neste sentido para que em Setembro do próximo ano mais crianças portuguesas possam vir a beneficiar. Irei dar novidades. 
De qualquer forma, prometo ser mais assídua no blogue e vir mostrar mais o que fazemos com o Quico.
Até lá aqui fica a página do Facebook do aplicativo.
https://www.facebook.com/minharotinaespecial?pnref=story





Juntando ideias podemos mais. Dentro desse ideal surgiu o Aplicativo Minha Rotina Especial, um aplicativo para iPad`s que foi projeto pelo Terapeuta Ocupacional Régis Nepomuceno e pelo pai de uma criança especial Paulo Zamboni afim de utilizar de uma rotina estruturada como forma de exploração, melhora das funções cognitivas e até mesmo favorecer uma rotina mais organizada para aquelas crianças que já apresenta uma boa cognição. O App terá funções de horários, timers, falas descrevendo as atividades, agenda da semana, do final de semana, das terapia, de imprevistos e de viagens. Assim, será possível preparar a criança para a realização das tarefas, fazer com que ela explore cada etapa e que resgate o que foi feito no final, potencializando o entendimento e as memórias. Além disso, o mesmo contará com a possibilidade de impressão, preparando a criança para o uso mais virtual de imagens. Um dos maiores diferenciais do aplicativo será a criação de relatórios de atividades, que irá possibilitar aos Terapeutas, Familiares, Cuidadores e Escola ter conhecimento maior de como está sendo a rotina, o ritmo e formas que as crianças estão utilizando seus conhecimentos dentro de cada contexto e serão enviados automaticamente para e-mails cadastrados. Sendo 100% personalizável,o aplicativo será programado para cada criança com imagens da sua realidade, pois acreditamos, e bases teóricas comprovam, que a subjetividade de imagens não funciona para crianças especiais. Em breve o App Minha Rotina Especial estará a venda na AppStore..

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Tarde de trabalhos manuais básicos para a escola

Hoje foi dia de criar algum material básico e essencial para a escola.

Desta vez optei por fazer as imagens com umas espátulas, para mostrar (em vez de estar a por com velcro e usar sobre um quadro). Acho que são mais fáceis de ter à mão.

Depois, as outras, vejo se faço com velcro, ou não, para colar num quadro.

Tenho uma máquina de plastificar básica, duma promoção do Lidl. E não é preciso muito mais: umas espátulas (à venda na Staples e no chinês), uma tesoura, fita-cola para colar as espátulas e, claro, uma impressora e imagens.


Encontei estas imagens na net das "necessidades" que achei muito engraçadas!

Aqui fica uma fotografia de um destes dias.



Sara
 




terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Ano novo nova escola

Hoje foi um dia BOM!

O Quico mudou de escola e hoje foi o primeiro dia! 

                       À entrada da escola, com um grande frio mas bem quentinho

A integração escolar é um processo muito difícil: é preciso levar todos os materiais, ver se a escola tem rampas, portas com largura suficiente para entrarem as cadeiras, casa-de-banho adaptada, se tem o menu adaptado à sua dieta (sem glúten e lactose, sem arroz e cenoura), se os horários das refeições são de acordo com os seus, se o refeitório não tem barulho demais, se a educadora, auxiliares, pessoal de cozinha e direcção estão alinhados connosco, adaptar as rotinas da turma e materiais escolares. E depois, se o Quico se consegue integrar ou não, como apresentar o Quico aos colegas e ao novo espaço.

Enfim, mil coisas e mais alguma!

E este ano lectivo é a segunda vez que estamos neste processo. Por vários motivos acabámos por sair do anterior colégio, depois de pensarmos em todos os factores.

De maneira que passámos para uma escola pública, temos uma acompanhante, já fizemos reuniões, estamos a adaptar tudo, e lá vamos nós outra vez!

Então, hoje foi o primeiro dia!

Nas primeiras reuniões, senti o normal: resistência por parte de uns, compreensão por parte outros, dinâmicos, facilitadores e "solucionadores" por outros. Tivemos de tudo!
Eu ponho o meu melhor ar, como se o que estivesse a tratar fosse uma mera "questão profissional" e não do meu filho e do ser mais importante da minha vida, e como se não estivesse a perceber o que vai na cabeça de todos! Morro de medo mas ninguém percebe nada e acha que eu sempre fiz aquilo toda a vida! 
Tento facilitar o processo a todos. A realidade é que sei que é muito dificil para as pessoas terem uma criança com necessidades especiais. 
- Para a educadora que nunca trabalhou com crianças com NEE, que está sozinha na sala com 16 crianças, tinha já todas as rotinas programadas, que só lhe foi comunicado de véspera, é obvio que é aterrador!
- Para a cozinheira, fazer a comida da forma que o Quico consiga se alimentar e não engasgar, é uma responsabilidade grande.
- Para a direcção da escola, que tem que facilitar e promover todas as alterações internamente, seja nos espaços, seja nas pessoas.
- Para a direcção do agrupamento que quer que tudo corra muito bem, que tem que, em última instância, gerir todas pessoas, e sabe perfeitamente as dificuldades que sentimos e só nos quer facilitar a vida, mas também tem que arranjar meios para ter a acompanhante e a auxiliar.
- Para a acompanhante que também para ela é o primeiro dia de escola!
- Para toda a gente que já percebeu que eu sou uma "chata" e que vou andar em cima.
Mas pronto, lá começámos hoje, só por umas horas.

O Quico levou umas Pintarolas e balões para oferecer aos novos colegas! Fez a coroa dos reis, ganhou uma fã que anda ao lado do carrinho de mão dada com ele, e no intervalo todos queriam conduzir o carrinho. Esteve super bem disposto na escola e depois em casa!
Conseguimos os objectivos para o primeiro dia: Quico feliz, meninos não assustados, mãe não em histeria, adultos calmos e tranquilos!

 
 Quico em casa com a sua coroa

Agora, vamos contar com a preciosa ajuda do Régis Nepomuceno, terapeuta ocupacional do Brasil, que em Novembro esteve em Lisboa para nos ajudar no processo de inclusão escolar do Quico. O Régis tem um projecto de inclusão escolar espectacular no Brasil e estamos já a trabalhar para ser implementado em Portugal no próximo ano!
Para já, uma vez que ele avaliou e conhece as capacidades e descapacidades do Quico, ele vai ajudar-nos a adaptar todo o programa escolar e todas as actividades serão feitas num meio integrado com os colegas mas adaptadas às suas capacidades. Depois, cá, serão adaptadas pelos terapeutas, a acompanhante, educadora e educadora de ensino especial.
 
O Régis e eu

Esperemos que este seja o primeiro dia de um percurso feliz, tranquilo e com aquisições.

Eu esgotei-me no processo de integração no anterior colégio, foi mesmo de uma grande exigência. Espero que este processo seja mais simples e que corra melhor.
Em relação ao Quico, também sinto que esta escola lhe pode dar maior tranquilidade, menos correrias, menos "passagens de mão" e um trabalho mais integrado com os actuais terapeutas.

Viva 2015 cheio de esperança!

Sara

Desejos de ano novo




"Acredito que todas os pais e mães de crianças com necessidades especiais, todos os anos à meia noite do dia 31 de Dezembro, quando pegam nas doze passas e no champanhe, só lhes venha à cabeça o desejo de que este seja o ano em que o seu filho passe a fazer as coisas que é suposto fazer!
Eu, pelo menos, quando ponho na mão as doze passas, onze delas materializam-se num só desejo. Lá no meu sub-consciente também acredito que se pedir mais vezes vai-se mesmo concretizar...
Olhamos para o nosso filho e pedimos muito muito...

E isto prende-se com a fé e com os sonhos que temos.

O meu filho tem seis anos e não deixo de sonhar e acreditar.  Claro, passaram 6 anos e não se concretizaram esses desejos mas continuo a acreditar.

Só que, mais que pedir desejos, também temos que agradecer. Primeiro pela saúde que nós pais temos, pois a nossa saúde é primordial. E depois, por termos os nossos meninos entre nós e por termos pessoas que nos ajudam..."

O texto na versão integral pode ser lido em Firefly - Desejos de Ano Novo

Desejo a todos um excelente ano de 2015, cheio de realizações e concretizações!

Sara 

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Deduções no IRS para as pessoas com deficiência

Ainda existem alguns direitos que assistem às pessoas com deficiência.

Assim, no IRS de 2014 (deste ano que passou e que vamos entregar em Abril/Maio de 2015) é possível deduzir à colecta 30‰ das despesas com a EDUCAÇÃO e REABILITAÇÃO.

Ou seja, todas as despesas apresentadas, que estejam relacionadas com a educação e com a reabilitação de pessoas com deficência, têm um "reembolso" de 30‰, pois podem ser deduzidas nos impostos.

E o que é bom é que não têm limite de valor. Por isso, podem ser apresentadas todas as despesas relacionadas com estes 2 items.

Atenção que possivelmente muitas delas têm que ter uma declaração médica a atestar a necessidade. Eu, pelo menos, pedi declarações para várias coisas.

Para quem não sabia, aqui fica a indicação.

E fica o link para o site para as deduções à colecta.


Bjs
Sara