O Q. nasceu em Lisboa em 30 de Abril de 2008 e é um menino muito especial.

E é por ser especial que desde o primeiro dia que trabalha muito, que procuramos soluções, alternativas, pesquisamos, falamos e temos muita ESPERANÇA que um dia faça tudo o que os outros meninos fazem.

Por ser assim, te amamos e POR TI, Q. tudo fazemos.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Cegueira Cortical e "terapia visual"

No ano passado, o Quico foi diagnosticado com cegueira cortical visual. Ver aqui.
Fizemos algumas adaptações de acordo com as indicações do médico. Melhorou muito a atenção!

Agora, como não me posso dedicar a exercicios fisícos, temos vindo a treinar mais a parte visual.
Pedi alguns conselhos a quem já tinha trabalhado bem a parte visual (sim, porque existem centros especializados em Portugal mas ninguém nos encaminhou, nem sequer nos falou da sua existência...), falei com alguns técnicos, li umas coisas na internet e comprei o material adequado.

Não ia escrever este post a reclamar, mas realmente, porque é que nunca nos encaminharam? Em sites estrangeiros este tema é bastante tratado. E ainda bem porque assim consegui um manual dirigido aos pais e técnicos para poder trabalhar em casa.

E assim, passei a ser também "terapeuta visual".

Aqui vão umas fotos do nosso kit! Para verem que não brinco em serviço... :-)
Mas não pensem que gastei uma fortuna. Apenas a placa de luz, que custou 50€ no Amazon, e depois, quase todo o restante material é das loja do chinês e não gastei mais de 30€! 

Sara



segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Anat Baniel Method - a nossa consulta

No final da semana passada fui ver a apresentação, pela 1ª vez em Portugal, do método Anat Baniel.

Apesar de já ter visto alguns videos do método aplicado à paralisia cerebral, não conseguia efectivamente perceber o que era.


Nessa apresentação, organizada pela Associação Vencer Autismo, consegui perceber os princípios. Mas ainda assim, percebermos a prática e ver os resultados ainda estava na dúvida do que seria...

Então, esta manhã, fiz a consulta com o terapeuta espanhol que pratica o método, com especialização em crianças.

Para uma leiga, parece-me mais com osteopatia, massagens ou terapia de bowen, do que com fisioterapia, como eu pensava.
As técnicas ou os movimentos feitos pelo terapeuta são muito suaves, pretendem dirigir-se ao cérebro através de vários caminhos, para que o cérebro, mais tarde, dê as respostas correctas, seja por um caminho ou outro, permitindo à criança tomar consciência de si mesmo e fazer o movimento sozinha.

Não vejo o método Anat Baniel como um método alternativo, mas sim complementar às terapias...

Bom, concretamente, o que vi no Quico, foi fazer alguns movimentos intencionais de anca, pernas e braços, que raramente faz. Aconteceu também que as terapias, esta tarde, correram muito bem, com muita atenção e movimentos activos na TO. Efectivamente uma das coisas que o método diz é que os movimentos que pretendemos que a criança faça, não sejam automáticos, mas sim conscientes, que ela faça as actividades porque quer e não como um automatismo...

Sara 
 

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Sobre a escola do Quico...


Muito se fala agora de falta de recursos nas escolas.
Na escola do Quico, apesar de ser uma IPSS, sempre houve falta de recursos especificos para o Quico.
Nunca houve redução de alunos por ter alunos com NEE, nunca houve uma auxiliar a mais, nem meios técnicos especiais. 
Estar lá o Quico ou não estar só tem um adicinal, uma educadora de ensino especial que vai lá 2 vezes por semana 45 minutos (e em dias certos, pelo que não há substituição de dias caso o Quico falte).
É o terceiro ano do Quico naquela turma, com aquela Educadora.
Coloquei lá o material necessário, cadeiras, standigns, quadro especial, apoios de cabeça, luva.
Fora isso (que não está na disposição da educadora mas sim na escola), não sinto a falta de nada.
Claro que não é fácil uma educadora e uma auxiliar darem conta de 25 miúdos, dos 3 aos 6 anos, um que necessita de todo o apoio possivel.
Mas nunca senti que o Quico era um problema, um obstáculo, uma dificuldade. 
Muito pelo contrário, sinto que há muita vontade de aprender coisas para poder melhorar a condição do Quico, procura de alternativas nas dificuldades apresentadas, definição de bons objectivos, integração em todas as actividades (de acordo com as capacidades do Quico).
Acresce que há a preocupação em passar a informação daquilo que se está a dar na escola, para que os terapeutas possam trabalhar os mesmos objectivos e não andar cada um para seu lado.
Se a parte cognitiva do Quico tem vindo a melhorar, é em grande parte à Educadora Cláudia.
Também acho que o nosso comportamento, enquanto mães, tem que ser adaptado. Nem sempre as situações perfeitas ou aquelas que a lei estabelece são as possiveis. Sinto, enquanto mãe, que devo estar atenta, ser colaborante e prestar ajuda, mas confiar no trabalho das técnicas. Muitas vezes as trocas de ideias passam assim, sem necessidade de pressionar ou criticar ou julgar.
Sara
 

terça-feira, 15 de outubro de 2013

A nossa nova "hipoterapia"


Terapeutas que fazem hipoterapia claro que me vão "matar" mas vejo muitas vantagens no nosso cavalo mecânico... 

Claro que não tem o ar livre, o contacto com animal e toda essa parte de socialização que a hipoterapia proporciona.

Mas podemos beneficiar da gaiola (que como sabem sou fã) permitindo estabilizar o tronco (e noutras circunstâncias obviamente dará para trabalhar sem os elásticos), faz o treino de equilibrio (posso acrescentar que mesmo sendo um dia muito ensonado para o Quico, vi a cabeça a portar-se muito bem!).

O cavalo mecânico tem como principais vantagens: treinar o equilíbrio, coordenação e concentração; tonificar e reforçar os músculos; ao imitar o movimento do cavalo proporciona a percepção do próprio corpo; visa ainda proporcionar o relaxamento e liberta a tensão. Para além de que é realmente divertido!

O cavalo mecânico não tem como objectivo substituir a fisioterapia, mas sim auxiliar e potenciar alguns exercicios.

Esperemos que seja mais uma ajuda...

Sara 
  

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

A minha semi-folga e os ganhos do Quico


Na semana passada, a minha mãe deu-me uma folga que já não tinha há muito tempo. Espera... nunca tinha tido esta folga!!!
Então, a minha mãe veio passar a semana cá a casa e tratou de levar e acompanhar o Quico às terapias.
Foi espectacular! Nenhum dos terapeutas quer que eu volte, só querem a minha mãe!
O Quico trabalhou tanto e tão bem!
Mas já sabemos a adoração que avó e neto têm um pelo outro, mas as gargalhadas, as imitações que o Quico faz da minha mãe, o estímulo, a felicidade, as coisas que fez e nunca tinha feito, é espectacular!
A avó também ficou muito contente, diz que não imaginava que o Quico fizesse já tanta coisa!
Foi bom e agora todos os dias vamos pedinchar para vir para cá passar mais uns dias!!!
Sara


segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Cadeira de bebé/espreguiçadeira

Nós e as cadeiras...

Agora que o Bumbo foi para a escola, para o Quico ficar na rodinha com os colegas, resolvi experimentar a cadeira de bebé que andava guardada na cave.


Os 2, Duarte e Quico, querem ser bebés e os 2 querem ver televisão na cadeira...

É mais uma alternativa, já que os miúdos não podem estar todo o dia na cadeira de posicionamento...E nesta não preciso de andar sempre a endireitar, está sempre no sítio!

E às vezes as soluções mais simples e ecnonómicas podem tornar-se as mais vantajosas...

Sara

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Baloiço - Rocking Bowl

Um site que gosto muito é o HOPTOYS.

E vi neste site o baloiço tipo taça, para trabalhar a parte vestibular. 

Só que o objectivo, para nós, é, não só trabalhar a parte vestibular como também utilizar como brincadeira, que seja fácil de colocar o Quico e onde sinta que faz o mesmo que o irmão. Aliás, era para ser prenda de Natal mas não fui a tempo de esconder...
Acho que cumpre os objectivos, porque quando chegou, foi a guerra e os amuos para quem se metia lá dentro!


Permite assim:
- rodar 360, permitindo à criança trabalhar controlo do peso do corpo, através da rotação para os 2 lados e diferentes velocidades. 
- interacção de 2 crianças lá dentro (não foi o nosso caso porque o Duarte só queria fazer sozinho).
- trabalhar a parte táctil, com bolas e outros objectos.

Acabei por comprar pela AMAZON.DE, onde saia ligieramente mais barato.

Sara

Batido-reforço depois das terapias

Muitas vezes o lanche cá em casa passa por um reforço.


Neste caso um batido para ser tomado ao lanche depois das terapias:

- AMORAS: anti-oxidantes, ricas em cálcio.

- BANANA: é conhecida pelo seu alto teor de cálcio e potássio. Por ser extremamente benéfica aos praticantes de exercícios físicos, a banana é alimento dos atletas, já que ajuda na prevenção de câimbras e dores musculares (também usamos depois das terapias, embora com pouca frequência por causa da obstipação).

- GENGIBRE: anti-oxidante (limina toxinas do organismo), anti-inflamatório (protege o organismo de bactérias e fungos), dispersa os gazes, combate as dores musculares, infecções respiratórias (muito recorrentes nesta altura do ano), tosse.

- SALSA: cálcio, mantém o seu sistema imunológico resistente, fortifica os seus ossos e contribui para a saúde do sistema nervoso, anti-inflamatório, tem propriedades antibacterianas.

Sara